DOGUE  DE BORDÉUS

O Dogue de Bordéus é uma raça de temperamento equilibrado e presença imponente. Sensivel, é um bom companheiro, afetuoso, extremamente leal, paciente e devotado a sua família. Com as crianças é dócil, sempre disposto a brincar e a zelar por elas. A sua cabeça é uma das maiores entre as raças caninas, com uma aparência inconfundível.

Também chamado de Bordeaux Mastiff ou French Mastiff, é uma das raças francesas mais antigas. Uma raça forte, poderosa e imponente, de corpo muito musculado e temperamento harmonioso. Foi utilizada de diferentes formas, desde usar a sua força para puxar cargas, a guardar gado e a proteger castelos da elite europeia.

HISTÓRIA

Um dos mais antigos cães franceses, provavelmante descendente dos Álanos e em particular do cão para caça grossa. Gaston Phébus (ou Fébus) disse no séc.XIV, no seu Livre de Chasse que " a sua mordedura é mais forte que a de três galgos ". A palavra " dogue " aparece nos finais do séc.XIV.

Nos meados do séc.XIX, estes antigos cães eram pouco conhecidos, mas célebres na região de Aquitaine, em França. Eramutilizados na casas e de gado, ao serviço dos carniceiros. A raça desenvolve-se e só voltamos a encontrar escritos sobre o Dogue de Bordeaux no século XIX.

O professor Kunstler, da Faculdade de Ciências de Bordeaux, no final do século passado, início deste, escreve sobre a raça: " Sós e ainda longe do tipo primitivo de nossos ancestrais, o Dogue de Bordeaux e o Touro de Burgos que parecem ser parentes próximos, tendo em vista a frequência das viagens de contrabandistas que transpunham os Pirenéus com estes cães de defesa, conservaram a força do molosso dos Celtas ".

EVOLUÇÃO DA RAÇA

Por causa de seu grande porte e apetite, não eram criados por qualquer pessoa. Normalmente eram propriedade de talhantes,que os usavam para outros fins, como para levar viaturas de vime e carregar porções de carne. Outra função era a guarda dos touros, agrupando-os num recinto, cansando-os antes de serem abatidos.

A sua disposição natural para guarda fez deste ajudante nos portos da região das Guianas, protegendo-os contra piratas. Também foi usado na defesa de castelos e propriedades, dada a sua valentia e coragem. Encontravam-se exemplares na defesa do Mont-Saint-Michel, na Guerra da Sucessão pelo exército sulista, e na Guerra Mundial como cães-maqueiros, o que prova incontestavelmente a sua capacidade de adestramento.

Em 1914, o professor Kunstler elaborou um ante-projeto do que seria mais tarde o seu estalão.Mas só em 1924 um impressor de Bordeaux, de nome Barés, retomará o Clube com o objetivo de editar o primeiro estalão, que será emitido dois anos mais tarde e durará até 1970.Os criadores puderam, enfin, fixar a raça utilizando inicialmente o método da consanguinidade, para transmitir aos descendentes diretos as qualidades dos seus progenitores. A raça sofreu muito durante as duas Guerras Mundiais, ao ponto de entrar em extinção na guerra de 1939 - 1945, tornando a reaparecer por volta de 1960.

TEVE QUATRO ESTALÕES

Ao longo dos anos foram feitos vários estalões da raça. O 1º estalão (caráter do verdadeiro Dogue) por Pierre Mégnin, Le Dogue de Bordéus, data de 1896. O 2º estalão por J. Kunstler, Estudo critico do Dogue de Bordéus, data de 1910. Em 1971 foi feito um 3º estalão por Raymond Triquet, com a colaboração do Veterinário Maurice Luguet.

O 4º estalão data de 1993 e foi reformulado segundo o modelo de Jerusalém (FCI) por Raymond Triquet com a colaboração de Philippe Sérouil, Presidente da comissão da Société des Amateurs de Dogues de Bordeaux. Raymond Triquet é considerado por muitos como o pai do Dogue de Bordéus.

APTIDÕES DA RAÇA

Esta é uma raça muito versátil, atlética e rápida, com um sentido apurado de olfato e audição. O Dogue de Bordéus começou por ser uma raça de combate e de guarda mas, com o passar dos anos, começou a ser utilizado como cão de companhia, não perdendo as suas aptidões de cão de guarda. Além dessas duas funções, hoje em dia compete em vários eventos de performance, como Obedience, Weight Pulling (tração), Water Rescue (salvamento na água) e busca e salvamento. Em alguns paises é ainda utilizado para terapia com crianças e adultos hospitalizados, e residentes em lares.

APARÊNCIA

Tipicamente um molossoide braquicefalo concavilíneo. O Dogue de Bordéus é um cão possante, cujo corpo é muito musculado sendo ao masmo tempo harmonioso. De uma forma geral, é o maior de todos os cães, não em peso, mas em massa corporal. Travesso, atlético, majestoso e imponente, ele tem um aspeto muito dissuasivo. É construído de preferência junto á terra, diz-se que a distância do esterno ao solo é ligeiramente inferior á altura ao peito. O seu pelo é fino, curto e suave ao toque. A nível de cor é unicolor castanho, desde o caju ao Isabel. Bem pigmentado. São admitidas manchas brancas no peito e extremidade dos membros. Com máscara preta, castanha (também chamada vermelha) ou sem máscara. Os machos medem ao garrote cerca de 60 a 68 cm, e 58 a 66, nas fêmeas. O seu peso é de pelo menos 50 kg nos machos e 45 kg nas fêmeas.

TEMPERAMENTO

Em relação ao caráter é uma raça de temperamento bastante equilibrado. É calmo e tranquilo, um símbolo de lealdade e coragem. Muito dedicado ao dono e família, é extremamente afetuoso. Um bom companheiro, dependente do dono, gosta de estar sempre por perto. Gosta de brincar e é alegre. Não ladra por tudo e por nada.

SEMPRE ALERTA

Antigo cão de combate, o Dogue de Bordeaux está dotado para guardar, função que assume com vigilância e grande coragem, mas sem agressividade. Calmo, equilibrado e com um elevado sentido de responsabilidade. Excelente cão guarda bastante vigilante e muito carajoso, tem noção do seu tamanho. Não necessita treino para guarda, pois desempenha muito bem essas funções.

Na presença de estranhos, não demonstra qualquer reação,mantém-se alerta e desconfiado, porém tranquilo, respondendo apenas no caso de sentir ameaça em relação a si ou aos seus donos. Nas situações de perigo, e em caso de necessidade de defender, não ladra, age logo.

COM CRIANÇAS

Apescar da sua aparência intimidante,é um cão charmoso, adora estar com pessoas, especialmente crianças.Muito paciente e protetor destas, suporta todas as suas brincadeiras. Convêm sempre ter algum cuidado pois, devido ao seu tamanho, podem derrubá-las. Por ser tão protetor dos mais pequenos da casa, nunca é aconselhável que uma criança o passeie sozinha, pois irá protegê-la de tudo o que seja estranho para ele. Tem um instinto muito protetor e facilmente defende uma criança, mesmo em casa.

COM OUTROS ANIMAIS

É uma raça que se adapta a conviver bem com outros animais em casa, desde que devidamente apresentados. Convêm sempre fazer uma boa sociabilização, desde cachorro deve conviver com outros animais, pois tanto machos como fêmeas, em adulto, podem ser bastante dominantes. Mas toleram bem a presença de novos bebés em casa, seja de que espécie for.

EDUCAÇÃO

Já se referiu o seu temperamento doce, mas também pode ser teimoso e arrogante. O treino de Obediência básica é essencial para todos os cachorros. Deve ser bem sociabilizado desde cedo e com frequência, para não se tornar agressivo com outros animais, nem reservado com estranhos. Um Dogue de Bordéus bem sociabilizado comporta-se bem com crianças, cachorros e estranhos. Nunca se deve encorajar brincadeiras de morder.

É importante ter sempre presente que o cachorro fofinho e adorável, cedo vai ser um poderoso adulto, além disso, o tempo despendido no treino fortalece a relação entre o são e o dono. Muito inteligente, depois de aprender uma lição não a irá esqueser.

É aconselhável uma rotina diária de grooming, para se habituar a ser mexido, o Médico Veterinário irá agradecer.

MATURIDADE

O Dogue de Bordeaux tem um crescimento mais lento que outras raças pois só atinge a maturidade aos três anos. Até essa idade, estão sempre em constante transformação morfológica.

OS CACHORROS

Como qualquer cachorro de raça grande, uma alimentação equilibrada e de qualidade, e vigilância médica regular durante o crescimento são essenciais para um correto desenvolvimento. O cálcio e vitaminas apenas devem ser dados por prescrição médica. O cachorro não deve frequentar locais públicos sem ter completado a vacinação.

Por muito bonito que seja um cachorro gordinho devemos evitar que tenha excesso de peso. Para precaver problemas ósseos também se deve evitar os esforços desnecessários, como subir e descer escadas, andar na areia seca na praia e em pisos escorregadios.

Desde cachorro deve ter bastante contacto com outros cães e com o maior número possível de pessoas, para que se torne um adulto equilibrado e sociável.

Nas brincadeiras não deve ter acesso a objetos e brinquedos que possa engolir facilmente. Apenas o devemos deixar roer brinquedos concebidos para raças grandes.

ESPAÇO EM CASA

O cachorrinho Dogue de Bordéus pode ficar bem acomodado na cozinha ou no jardim mas, á medida que cresce e atinge aproximadamente um ano de idade, irá necessitar de mais espaço.

Se o futuro dono não tiver vontade ou disponibilidade para o passear diariamente, independentemente do estado do tempo, não deve escolher um cão desta raça para companheiro.

NO DIA A DIA

Além de uma alimentação de qualidade e adequada á idade, deve ter sempre água limpa e fresca á sua disposição. É importante que o comedouro não esteja ao nivel do chão, mas ao dos seus ombros para prevenir problemas na sua estrutura e ajudar á digestão.

EXERCÍCIO

Não deve fazer exercício em excesso até aos 12 meses, uma corrida á volta do jardim da casa e curtos passeios são suficientes. Ao atingir um ano de idade, deve começar a fazer exercício, de uma forma gradual.

Depois de completamente desenvolvido, é essencial fazer exercício suficiente para prevenir a deterio-ração da sua musculatura. O exercício também é fundamental para manter o seu bem-estar mental, pois um cão aborrecido consegue encontrar sempre algo para fazer e, em alguns casos, pode apresentar comportamentos destrutivos.

Ao cotrário de otros cães Mastiff, o Dogue de Bordéus é um cão ativo, atlético, que adora jogar e é brincalhão, mesmo quando mais velho. Deve poder exercitar-se diariamente e fazer alguns passeios longos durante a semana, durante uma hora  no máximo. Os passeios e brincadeiras ao ar livre não devem ser na hora de mais calor, pois estamos perante um cão pesado, de focinho achatado.

Nos passeios, percebe-se claramente a importância de ter um cão bem treinado a andar á trela, caso contrário, será o Dogue de Bordeaux a passear o seu dono.

GROOMING E BANHO

O cuidado de grooming do Dogue de Bordeaux é minimo. Para manter o pelo bonito, basta escovar uma vez por semana para retirar o pelo morto, e minimizar a quantidade de pelos espalhados pela casa.

Os seus ouvidos devem ser limpos regularmente, pois as orelhas caídas predispõem a uma maior ocorrência de otites. É importante manter as unhas cortadas para evitar problemas nas patas e pernas. Há criadores que sugerem que tome banho 15 em 15 dias para prevenir odores, após o qual se deve limpar muito bem as suas pregas. Dar banho a um Dogue de Bordéus requer muita paciência, tempo e toalhas. Alguns exemplares divertem-se muito no banho e pensam que é um jogo.